NOTAS

Curiosidades a respeito do projeto

01

O pássaro azul

Em 2005, enquanto caminhava pelas ruas da cidade onde morava, Maurício Businari ouviu o grito de um pássaro. Estranhou o som, pois não era comum aos pássaros que vivem nos centros urbanos. Estancou o passo. E o grito se repetiu, dessa vez mais alto. Finalmente, pôde localizar o animal, empoleirado em um galho de uma palmeira, em uma casa nas redondezas. Era uma arara. Uma arara azul.

02

Olhar indelével

 

Aquele pássaro enorme o fitava diretamente. Os olhos arregalados. Criatura típica do Pantanal, a cena não era nada comum para uma cidade em meio à zona urbana do Sudeste brasileiro. Imediatamente lembrou-se de uma antiga estória, sobre um pássaro belíssimo que era capturado por um califa. Naquele momento, a ave levantou vôo e sumiu. Ali nascia o projeto de A Canção das Esferas.

03

Uma harpa para dois


Depois que narrou o que acontecera ao amigo e parceiro André Luiz Salibi, em instantes o argumento para o livro começava a nascer. A estória de um menino e uma harpa de luz. E a importante missão de encontrar sete notas musicais muito especiais, capazes de fazer soar a Canção das Esferas e impedir que Kroll, o terrível Monstro do Silêncio, complete sua tarefa de silenciar os seres que habitam a Terra e suas dimensões.

04

Relato das visões

À medida em que a estória se revelava sob as teclas do computador pelas mãos de Maurício, André ia narrando suas visões do que iria acontecer em seguida. Capítulo por capítulo, cena por cena eram contados de forma oral por André, trechos que ganhavam as tintas e o estilo do jornalista. Maurício ouvia os sons, a música por trás da escrita. E começou a compor a trilha sonora da obra, em 2006.

05

Vídeos que narram estórias 

Em 2007, a dupla fundou o HI-BRAZIL, um coletivo de artistas digitais. O primeiro vídeo composto para a obra, Epílogo, foi lançado em 2008, no YouTube. Era a saga se desenhando, tomando forma tanto no ambiente da criação quanto na interface com o "mundo real". E assim a obra foi se desenvolvendo de forma orgânica, ganhando tons relevantes da passagem do tempo.

06

Sombras sobre a criação 

À medida em que concluíam o primeiro volume da saga, a segunda parte da história também começava a tomar forma. Foi quando, em 2009, enquanto as mudanças climáticas começavam a projetar um cenário de caos e destruição, surgiu o primeiro bloqueio criativo da dupla. Uma sombra que obscureceu a visão e silenciou os ouvidos. Outros vídeos foram produzidos, novas músicas foram compostas. Mas a estória parecia estática, imóvel aguardando o momento certo de ser retomada.

07

Fiat Lux 

A sombra começou a se dissipar em 2012, quando a primeira parte da saga ganhou novos capítulos. Em um processo lento, nada ritmado, as visões de André retornavam. Mas o bloqueio de Maurício em transcrever as cenas para as palavras perdurou por mais alguns anos, até quem, em 2019, após uma série de importantes alterações, o texto final de Thales e a Rainha do Gelo ganhou sua versão final. A dupla agora trabalha na finalização da segunda parte da história e na compilação das músicas produzidas ao longo desses dez anos.

SIGA-NOS NAS REDES

  • Facebook Classic
  • Instagram
  • Twitter Classic

© 2019 by ANDRÉ LUIZ SALIBI E MAURÍCIO BUSINARI